Querido E.,

Eu costumava colocar todas as coisas mais importantes sobre mim dentro de uma caixa. Era uma caixa bonita, eu gostava de morar dentro dela. Tinham algumas corujinhas voando de um lado pro outro e uma das paredes era rosa, a outra verde limão. Uma imensa máquina de escrever me fazia companhia ali num cantinho, e o motivo pelo qual eu colocava tanta coisa ali era porque eu achava que era o único lugar que me cabia.

Somos doutrinados a nos diminuir para caber nos lugares. Hoje eu sei que fazia isso porque não acreditava que a magia em mim era poderosa o suficiente para me assentar em espaços maiores, portanto, me escondia.

Ter encontrado você foi uma coisa importante para mim, porque você me relembrou lições sobre a magia que há muito tempo eu havia esquecido, e embora a sua pessoa estivesse destinada a se assentar em tronos muito maiores, não pensou duas vezes antes de me abraçar com cuidado e aninhar seu corpo no meu numa madrugada de primavera.

Eu não acho que os fios do nosso destino terminem num laço, mas em muito me alegra saber que as mãos que seguram a agulha e a tesoura foram cuidadosas o suficiente pra permitir que alguns dos meus pontos fossem costurados junto aos seus aqui e ali nessa colcha de retalhos.

Sabe, E., eu descobri que o significado do seu nome é esperança e acho que em toda a magia oculta na linguagem parece irônico que você não seja capaz de esperar grandes coisas de seus próprios feitos nesse momento. É tão difícil, eu sei. Sentir por tempo demais ou ouvir de outra pessoa que não somos o suficiente nos faz achar que o nosso lugar é pequeno e nossos melhores talentos cabem melhor dentro de uma caixa de sapatos embaixo da cama, só pra gente.

Mas eu espero que você seja capaz de romper com o medo e se posicionar em lugares maiores do que dentro apenas de si mesmo. Vejo tanta magia em você, gostaria que visse também. A forma como você ilumina minha noite e me faz sentir como se todas as coisas pudessem ser resolvidas amanhã bem cedo, depois do café, é um sentimento que eu já sinto saudades desde agora.

A vista de fora é linda. Eu gostaria que você pudesse sentir o vento, ver o rio e o vale, apreciar o cheiro das árvores e o barulho que elas fazem no silêncio da noite quando seus galhos são balançados. Por favor, não se diminua para caber em espaços tão pequenos.

Tenho esperança de que um dia você vai acreditar em você o suficiente para saber que merece um lugar fora dessa caixa. Há bagunça em toda parte, mas quanto menor o espaço que tentamos nos encaixar mais as coisas vão ficar fora do lugar pois há muito em nós que não cabe em parte alguma, até criarmos o lugar propício para que essas coisas possam existir em harmonia com quem nós somos.

Você criou lugares novos em mim para sentimentos que eu não podia esconder ou conter em caixa nenhuma.

Por toda a vida somos doutrinados a nos diminuir para caber nos lugares que as pessoas esperam que nós preenchamos. Mas o amor não nos ensina a encolher, ele nos ensina a aumentar. Eu desejo ter sido capaz de fazer você se sentir um pouco maior do que você realmente achava que era. Na maior parte das vezes coragem não é realmente algo que sentimos, mas algo que fingimos sentir para que através do acreditar que ela existe, se torne real em nós.

Sei que há uma pessoa por debaixo dos seus escudos de guerra, e sei que por muito tempo você acostumou a carregar o peso dessa armadura, mas antes de ir embora eu precisava muito te dizer que eu me apaixonei por quem sustentava essa armadura, muito mais do que o quanto ela brilhava ou quão reluzente parecia estar mesmo que você sangrasse por debaixo dela.

Se eu pudesse deixar uma única mensagem depois de tudo, pediria que você deixasse a armadura dentro da caixa e fosse capaz de conhecer o mundo um pouco mais leve, com todo seu glorioso esplendor, em sua própria e gigantesca companhia, que é sem dúvida nenhuma a melhor que já tive em muito tempo.

Não acho que eu vá te escrever mais por enquanto, não aqui, não dessa forma. Mas não parecia certo não me despedir com uma carta – são as palavras mais minhas que esse pulso poderia trazer à existência – talvez a próxima eu te entregue em pergaminho. Essa carta não é apenas para dizer tudo isso e me despedir, é também um obrigada. Por me aquecer e me lembrar o significado da luz que brilha em mim.

Espero que saiba que eu gostaria muito de ter ficado, te ajudado a carregar as coisas pesadas, tentar curar as feridas debaixo da armadura e aninhado meu corpo no seu com carinho por algumas madrugadas a mais – em qualquer estação – mas é muito difícil lutar contra você por esse espaço quando você não acha que merece caber nele.

Há magia em toda parte, meu bem, acredito que as suas chances de mudar as coisas e ser forte são muito maiores fora dessas armaduras pesadas que você insiste em carregar para se esconder em espaços menores do que é. Tenho certeza que ainda vou te ver se assentando em tronos muito maiores. Tudo começa a acontecer quando a gente deixa os medos, as caixas e as contenções de quem somos no passado e se projeta para ser quem somos destinados para ser.

com amor,
arw

 

  • dia 19/11/2017

    Eu tenho um fraco por cartas. Foi assim que você me conquistou, lá no Caixa. Mas soube manter direitinho a conquista e agora me tornei essa pessoa completamente encantada por tudo que você escreve. Mas eu ainda tenho um fraco por cartas. Ainda bem que as suas existem.

    [Responder]

    Carol Santana,
    dia 19/11/2017

    @Cecilia Maria, QUE PRESENÇA ESPECIAL E HONRADA!!!!
    Eu sou mais do que suspeita porque as cartas me chamam muito e são meu gênero textual favorito. Consigo me identificar tanto, eu posso passar horas e horas (e mais algumas horinhas) escrevendo – e lendo – essas maravilhas.
    Obrigada sempre, <3
    C

    [Responder]

  • dia 19/11/2017

    You don’t want it enough or you don’t believe enough you’ve got the right to want? I believe those were the truest words anyone ever wrote to me, trying to explain me for me. Say thank you, I’m saying thank you. First things first, Jane would be proud of the way you compose your letters; the way you’ve always composed them… very much like Tchaikovsky composed the Nutcracker Pas de Deux and it’s my favorite piece of music from all times. Thank you for being that meticulous, Lene.
    I putted myself in small boxes in the past; guess I didn’t understand how friendships could be equally abusive, as love affairs… however, HIM, allowed the right people to come within my path and, thankfully what they saw was enough to make some desire to stay. Hopefully, you’d be one of them. Forever.
    For if there’s anyone who can keep reminding me of how stupid it is to make the armor heavier than the gold from my heart, it’s you. with your words. with your kindness. with your eyes.
    Thank you.

    [Responder]

    Carol Santana,
    dia 19/11/2017

    “You don’t want it enough or you don’t believe enough you’ve got the right to want?” Eu vou anotar no caderninho das melhores quotes que já criei pra escrever um texto sobre ela.
    Second of all, JANE WOULD BE PROUD
    QUEM FALA ISSO
    THERE ARE REAL TEARS IN MY EYES RIGHT NOW
    LIKE, SALTY WATER
    LITERALLY!!! God damn it, @Moony, arent you a true gift in my life.
    HE, however, is indeed the very best pal i’ve met, with all these knowledge and care of arranging the most exquisite and extraordinary meetings.
    Thank you, for this one most awesome true, kind and personal comment in the entire history of this blog.

    C (or M, in this case),

    [Responder]



Top