Querida cecília,

Feliz aniversário.

Há muitos anos eu não escrevo uma carta nominal à alguém mas me parece que você vai aproveitar essa, portanto, senti de escreve-la. Quero muito que você aproveite os seus 22 anos pois se eles forem tão maravilhosos quanto os meus você soprará 23 velas daqui 364 dias como uma mulher muito diferente, e se não forem, bem, não precisam ser, de fato. Pois embora eu te ache uma das pessoas mais maravilhosas de todo este mundo também sei que você não vai fazer nada como eu – ou qualquer outra pessoa – e os seus 22 anos serão tudo que você precisa que eles sejam.

O ano é 2017 e embora ele não pareça dizer muito às outras pessoas em geral eu espero que este seja um ano para você guardar no seu coração, não porque você foi à Londres, viu o Benedit ou fez qualquer outra dessas coisas que serviriam para aquecer o meu coraçãozinho vendo seu feed no instagram, mas porque eu te vejo se transformando a cada dia e se superando muito e encontrando em si mesma forças que aparentemente ninguém disse a você que você tinha.

Essa carta é um pouquinho pra isso, se eu tiver que falar bem a verdade (e tenho). Essa carta é para te dizer que talvez você não esteja vendo a luz no fim do túnel, porque a luz é você. E te disseram pra olhar pra frente, mas nunca te disseram pra olhar pra dentro.

Eu estou dizendo.

Foram 21 anos completos até agora. 21 invernos não ingleses, com 21 natais não londrinos e pelo que os olhos podem ver há muita coisa no lugar onde não deveria estar e muitos lugares cheios de ausência pelo que não está lá, mas deveria. E eu acho que com o passar do tempo se perde um pouco a percepção de que se sentimos como se não estivéssemos onde deveríamos estar é porque talvez não devêssemos estar ali e sim aqui.

Eu acho que você está onde precisa estar, sabe, meu bem?

Eu te vejo com toda essa força, sonhos e flexibilidade, e toda essa vontade de ganhar o mundo que, eu sei, vai te apresentar mundos extraordinariamente inesperados e eu só posso dizer que você precisa estar ai, por enquanto.

E que eu mal posso esperar para que o túnel se desmorone e o mundo inteiro possa ver toda essa luz que não está no fim dele, está bem embaixo e emana de você. Alguns tijolos precisam cair pra isso, sabe? Alguns passos precisam ser dados e é preciso muita força para se mover debaixo dos escombros, mas eu estou muito pronta para te ajudar porque é tudo tão poderoso o que você pode fazer que não poderia ser diferente. Não haveria de ser diferente mesmo.

Então, aproveite essa jornada até o vigésimo terceiro inverno.

Você sabe, há muitas flores espalhadas entre um solstício e outro, e eu tenho certeza de que no minuto que você enxergar a luz ela te fará ver todo o resto com muito mais clareza – mesmo se o túnel parecer ter ruído – porque você constrói suas próprias estradas.

Muito obrigada por me dar o privilégio de acompanhar esse caminhar nada além de mágico, surreal e com um quê tão nosso de mia dolan, você é como uma estrela no meu céu escuro que me aponta direções no meio da noite iluminando minha vida por vezes tão negra.

Há uma verdade que me levou mais do que 22 invernos para aprender e eu quero muito que você se lembre muito dela por todas as estações que a vida ainda vai te dar: o túnel, bem como seus caminhos, é você quem constrói ou derruba de acordo com a necessidade de chegar a lugares, a luz é nada além de você com sua necessidade de enxergar sempre mais longe do que os olhos poderiam ver na escuridão.

Feliz 22, meu bem. Não é como se você precisasse que uma cidade inteira de estrelas brilhassem pra você, pois na verdade você é a estrela na cidade, e, antes que você diga qualquer coisa por favor lembre-se: é mais do que um sonho de quimera, e sim, você é boa o bastante.

Eu estarei aqui, e você vai ficar bem.

____________________________________

 

com amor, lene

 

  • dia 11/08/2017

    Essa é a terceira vez que eu leio essa carta só hoje. Perdi a conta de quantas vezes eu li desde o momento em que soube da existência dela. Eu leio e releio porque ela me faz bem, me traz força. E eu vou imprimir e carregar dentro da minha carteira, para todos os lugares, como um amuleto da sorte, como uma lembrança de tudo que sou e fui e posso ser. E eu nem sei por onde começar a lhe agradecer (pela milésima vez só essa semana). Agradecer pela carta, pelas vezes que você me chamou pra conversar porque percebeu que eu não estava bem, pelas interações no twitter, por todas as palavras que você já escreveu e não eram diretamente pra mim mas, ainda assim, foram. Agradecer por ser e estar. Por ser você e estar comigo há tantos anos que nem consigo contar, porque parece que a gente se conhece desde sempre. Você é linda. Você é talento. Você é amor. Eu eu te amo muito. Pra sempre. Obrigada, obrigada, obrigada. ❤

    [Responder]



Top