Fotografia
02/06/2016

Tô numa vibe de desconstruir conceitos tão grande que até resolvi postar o projeto de Maio em Junho, que que vocês acham? HAHAHAHA, tô brincando, foi falta de vontade de viver fotografar que tomou conta do mês de Maio de uma forma tão medonha que fiquei com medo que ele fosse ser o mês mais longo do ano (mais que Agosto!) então simplesmente me rendi e dei a ele o tempo que tinha pra acabar e começar Junho livre desses fantasmas horríveis que tentavam me assombrar.

Por isso tô aqui hoje pra mostrar pra vocês minhas fotos relacionadas ao título de livro que eu mais gosto. Vocês lembram de como funciona o Essential Books, né? A cada mês tem um tema em comum pra várias blogueiras literárias fotografarem. Já rolou Personagem Feminina Favorita, Quote Favorita (esse é o melhor, clica, vai!), e em Abril teve Capa favorita.

Não posso dizer que foi difícil. Desde o mês passado eu queria fotografar esse livro. É um livro muito, muito, muito especial pra mim. Primeiro porque a autora dele é ninguém menos do que Meg Cabot, minha inspiração mor do universo da escrita, segundo porque esse livro tem magia (!), bem, não exatamente, terceiro porque a personagem dele é ruiva, quarto porq… sério, preciso continuar?

Jean é uma garota do interior de Iowa que não podia estar mais entendiada. Sua cidade é pequena, sua família muito grande, seus pais pastores, seu nome é de homem, e seu cabelo ruivo é totalmente diferente do que é considerado normal. Pior que tudo isso só seu apelido, Jinx, que significa azadara, pé frio. Depois que ela é forçada a deixar tudo isso para trás e morar com seus tios – no seu próprio quarto, com seu próprio banheiro! – em nada menos que New York City, Jean sabe que agora sua sorte mudou e ela vai parar de atrair o azar que a persegue desde a queda de energia do hospital no dia do seu nascimento.

Só tem uma pessoa que não está nenhum pouco disposta a permitir que Jean comece do zero. Sua prima Tory, com quem ela agora tem que morar, é uma má aluna, rebelde e revoltada com os pais que criou um coven porque acredita fielmente que é uma bruxa. Quando Jean se recusa a participar de toda essa palhaçada e dá as costas ao coven de Tory, sua prima passa a ter como objetivo destruir as esperanças de Jean. Não dá pra saber se depois de tudo que vem acontecendo com ela desde que chegou em NYC é muita sorte ou o maior azar do mundo.

 IMG_7447edited14IMG_7470editedIMG_7480editedIMG_7475edited36

Dessa vez não vou legendar as fotos porque ficaram bem auto-explicativas. Mas sim explicar a ideia das fotos com elementos de sorte: qualquer situação pode ser positiva ou negativa, depende da sua capacidade de enxergar a big picture da qual essa situação específica faz parte. Esse livro é muito sobre aceitar quem você é, então, fica a dica de que se tem alguma coisa te impedindo de ser feliz, geralmente é a sua própria cabeça.

Só quero pedir pra alguém ligar pra minha ruivice e pedir pra ela voltar, pufavô, tô sofrendo sem ela, sos!

Notas sobre essa postagem:
1. As duas fotos em que eu apareço não foram tiradas por mim (isso tá meio implícito mas nunca se sabe, cada coisa que eu vejo na internet!) e sim pela Carol Ozzy que vocês estão familiarizados de outras fotos, né? Muito amô!
2. Queen of hearts, always the queen of hearts.
3. Maio foi um mês todo torto pra quase todo mundo no projeto, mas teve gente que ainda conseguiu postar, confiram o delas também:

Livro Arbítrio | Sammysacional | Nina é Uma | Cupcakeland |
Pensamentos valem ouro | Outro capítulo | Naive heart
Beijos,
Carol Santana
Fotografia
16/04/2016

Oba! Chegou a dos projetos fotográficos! ❤❤❤

Acho que a essa altura vocês já estão familiarizados com o Essential Books, né? É aquele projetinho lindo em que eu me reúno com um grupo de blogueiras e postamos fotos literárias sobre o mesmo tema. Já tivemos Personagem Feminina Favorita no mês de Fevereiro, e Quote Favorita no mês de Março, mas esse mês a proposta foi fotografar elementos relacionados à nossa capa favorita.

Esse foi o tema que menos me gerou dúvidas, nos outros meses eu fiquei sofrendo entre mil possibilidades e dessa vez só tinham duas possíveis capas que eu queria falar sobre, que era Sorte ou Azar da Meg Cabot ou Coração de Tinta da Cornélia Funke, mas por motivos extras de amor pela história escolhi falar sobre Coração de Tinta porque essa história além de bem escrita, com personagens fodas, e um contexto incrível fala sobre justamente a coisa que amamos mais: livros.

Talvez vocês não estejam familiarizados com ela com ela, mas se trata de Mortimer, um restaurador de livros que possui o dom de ler para fora dos livros os personagens. Agora Capricórnio, um vilão que Mo leu pra fora da história Coração de Tinta está atrás dele para que ele leia outros personagens para fora do livro. Paralelo a isso Mortimer tem uma filha, Meggie, que é vidrada por livros e está tentando entender porque apesar do amor por livros seu pai nunca leu nenhuma história para ela, onde está sua mãe, e por que eles tiveram que entrar correndo no trailer e sair sem rumo novamente. Essa história ganhou um adaptação cinematográfica de mesmo nome em 2008, que, claro, não é tão boa quanto o livro mas representa bem a essência da história, se você não conhece vale dar uma olhada.

IMG_7186.edited

I. FALA SÉRIO! Olhem bem pra essa fonte, e essa arte e esses galhos! É muito amor pra um livro que fala de livros! ❤❤❤

IMG_7202 edited

II. Além de ter a capa maravilhosa a Cia das Letras arrasou muito na composição do livro, é muito caprichado: cada capítulo tem uma ilustração que remete ao universo mágico de Coração de Tinta (o livro de dentro do qual Mortimer leu Capricórnio para fora).

IMG_7206.jpg edited

III. Referências. Esse livro tem muitas referências incríveis de literatura!

IMG_7224 edited

IV. C-I-T-A-Ç-Õ-E-S. Nem sei se devo continuar, não fica melhor do que citações antes dos capítulos.

IMG_7245 edited IMG_7261 edited

V. e VI. Comecei a pensar sobre como representar o coração de tinta da história, que basicamente é um coração – uma pessoa – que ama tanto as histórias, os contos de fadas, que em suas veias corre tinta ao invés de sangue. Coloquei as duas fotos juntas e com níveis diferentes de sangue (vermelho) e tinta (negra) para representar a evolução que acontece ao longo dos volumes na trilogia. Não vou dar spoilers mas você podem observar pelos títulos.

________________________________

Notas sobre essa postagem:

1) A foto destaque da postagem anterior a essa (o texto “Letramento do Amor”) foi tirada inicialmente pensando na proposta deste ensaio, porém senti que ela combinou muito com o texto e eu preferi usá-la do que aqui, até porque senão essa postagem ficaria muito grande.
2) Para conferir as outras postagens do projeto com o tema “Capa favorita” é só visitar os blogs abaixo:

Segredos de uma cerejeira | Amantes da leitura | Raphael Sulivã |
Livro arbítrio | SammySacional | Nina é UmaCupcakeland |
Pensamentos valem ouro | Outro capítuloNaive heart
Beijos,
Carol Santana
Fotografia
17/03/2016

Quem lembra daquela postagem que eu fiz sobre a Hermione? Era um projeto fotográfico, o Essential Books, no qual todo mês um grupo de blogueiras se organizam para postar fotos diferentes sobre um mesmo tema que envolva literatura. No mês passado o tema era personalidade de uma personagem feminina e esse mês o tema é uma quote, ou citação que nos marcou.

Confesso que apesar de ter delirado quando decidimos a proposta do mês eu comecei a entrar em desespero total depois de um tempo. Desespero esse motivado pela minha incapacidade em escolher apenas uma citação para representar minha vida. Graças à Nina, criadora do projeto e minha grande amiga, decidi me aquietar em uma quote de C.S.Lewis, que me representa muito enquanto ser humano, cristão e escritor.

Uma vez decidido o autor eu fui à caça de uma citação que se não pudesse definir minha vida pudesse ao menos expressar o que estou sentindo nesse momento. É com alegria que posso dizer que encontrei uma que me fez refletir muito. Trata-se de uma parte no livro As Crônicas de Nárnia: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa na qual um sentimento de tristeza é expressado.

Vocês vão entender melhor a minha proposta com essas fotos quando eu fizer um vídeo explicando sobre a minha relação com a personagem Tristeza no filme Divertidamente, mas, por enquanto, esse vídeo ainda não saiu (semana que vem, posso ouvir um Amém, irmãos?) então me resta, antes de apresentar as fotos, pedir para que vocês ativem a parte do cérebro de vocês responsável pela sensibilidade e pelo carinho, do contrário essas fotos não serão capazes de te tocar. Mas tenham em mente que a tristeza não precisa ser uma coisa ruim da qual fugimos incessantemente, e que ela sempre vem com outros sentimentos a tiracolo. Bons sentimentos, e uma libertação da dor.

peb3

I. Quando eu conversei com a Nina (alguma coisa como “NÃO SEI QUAL CITAÇÃO ESCOLHER, ME AJUDE!”) ela disse “Faz Lewis, nada grita Carol tanto quanto Lewis.” A verdade é que As Crônicas de Nárnia foi a primeira obra de fantasia com a qual eu tive contato na minha vida (obrigada, mãe!). E eu carrego, até hoje, um carinho muito grande por essa história e por esse escritor.

peb4

II. Segue a citação:

“Espero que ninguém que esteja lendo esta história alguma vez na vida tenha sido tão infeliz quanto Susana e Lúcia naquela noite. Mas se você sabe o que é isso, se já passou a noite toda acordado e chorou até acabarem as lágrimas.. Então sabe que, no fim, desce sobre a gente uma grande calma. Chegamos até a ter a sensação de que nada mais nos poderá acontecer.”

Carol s-16.resized

III. Então, o primeiro sentimento que essa quote desperta em mim: A tristeza. Dessa de apertar o olho e soluçar no choro. Ela existe, e não tem porquê se envergonhar de senti-la. Sentir dor quer dizer que estamos vivos.

Carol s-12.resized

IV. Quando eu vejo essa frase eu também penso sobre as coisas que me despertam para ser eu mesma. Uma necessidade de sentir alguma coisa além da dor, então eu sinto uma certa quietude, eu comigo.

Carol s-11.resized

V. Quando eu pensei sobre as sensações do quote, essa era pra ser a primeira. O negócio é que depois eu fui reparar, as emoções implícitas nessa citação podem trocar de ordem, podem vir uma antes ou depois, mas sempre será necessário que enfrentemos essa: A solidão. Existe solidão boa e solidão ruim, né? O problema é que elas andam juntas.

Carol s-13.resized

VI. A calma.
Acalma.
Uma grande, imensa e inesgotável calma que a gente não poderia sentir se não estivesse sido preparado pela tristeza de antes.

_________________________________________

Notas sobre essa postagem:
1. Apesar de ter pensado sobre cada sensação e como expressá-la, essa postagem não teria sido possível sem a minha grande e amada Carolina Ozzy, que sempre consegue captar a ideia na minha cabeça e executá-la com leveza e beleza incomparável. Meu muito obrigada de sempre.
2. Vocês podem conferir outras citações, de outros escritores, nos blogs abaixo:
Segredos de uma cerejeira | Amantes da leitura | Raphael Sulivã |
Livro arbítrio | SammySacional | Nina é UmaCupcakeland |
Pensamentos valem ouro | Outro capítuloNaive heart
Beijos,
Carol Santana
Páginas1234